Viva a Vida Fenômeno nas redes sociais, Maria Lúcia faz sucesso mostrando vida simples no campo

Fenômeno nas redes sociais, Maria Lúcia faz sucesso mostrando vida simples no campo

A influenciadora tem 2 milhões de seguidores no TikTok e descarta viver de maneira luxuosa

  • Viva a Vida | Pedro Garcia, do R7

Resumindo a Notícia
  • Maria Lúcia mostra o dia a dia da vida simples no sítio

  • A influenciadora alcançou 2 milhões de seguidores em oito meses

  • Segundo especialistas, ela pode ganhar de R$ 8 mil a R$ 10 mil por publicidade

  • Mesmo com o sucesso, Maria Lúcia deseja continuar na simplicidade

Maria Lúcia faz sucesso nas redes sociais ao exibir rotina simples no campo

Maria Lúcia faz sucesso nas redes sociais ao exibir rotina simples no campo

Reprodução/Instagram @marialuciap29

Maria Lúcia, de 58 anos, é agricultora aposentada e há oito meses nem imaginava que ficaria conhecida por mais de 2 milhões de pessoas, que a seguem em apenas uma rede social. A influenciadora mora no município de Riachuelo, no interior do Rio Grande do Norte, e conseguiu essa legião de admiradores mostrando o dia a dia no sítio, o cuidado com os animais, as plantações e receitas. Para ela, a vida simples, rural e alegre é o segredo do sucesso.

Por mais que hoje seja um nome relevante na internet e feche contratos de publicidade importantes, com marcas nacionais e internacionais, Maria Lúcia nem tinha perfis nas redes sociais há menos de um ano. Radira Araújo, de 31, uma das filhas dela, foi quem teve a ideia de colocar a mãe no ambiente digital e gravou um vídeo da agricultora sem que ela soubesse que iria para o TikTok.

"Tem um grupo do WhatsApp da família, com os meus irmãos e a minha mãe. Ela sempre tirava foto, fazia vídeo e mandava. A gente sempre comentava que ela tinha que ter Instagram, mas ela nunca foi de rede social. Quando a minha irmã mais velha deu um celular bom para ela, tive a ideia de fazer as contas nas redes sociais, mesmo que ela não quisesse. Vi que ela se dá bem com a câmera, então tive a ideia de gravar um vídeo com ela fazendo a resenha de uma sobremesa", conta Radira.

Durante uma viagem a São Paulo, a filha de Maria Lúcia pediu doces de uma famosa confeitaria e os deu à mãe para que ela provasse enquanto gravava. A mãe só percebeu que o vídeo foi para as redes sociais quando começou a receber notificações do TikTok. Ela se surpreendeu ao ver que tinha cem seguidores e ficou chocada com o número de pessoas que a acompanhavam.

Veja o primeiro vídeo de Maria Lúcia:

A influenciadora decidiu continuar produzindo conteúdo e passou a gravar vídeos de receitas com a ajuda da filha. Até que, em março deste ano, teve a ideia de gravar um vlog mostrando o dia a dia no sítio.

Maria Lúcia filmou a rotina e deu a gravação à filha para que ela editasse e publicasse o vídeo, mas não estava muito confiante com o novo formato. Radira gostou do resultado, tanto que elas decidiram repetir a fórmula mais uma vez e viralizaram. O segundo vlog alcançou 2 milhões de visualizações em dois dias, hoje já passa dos 4 milhões de reproduções.

Veja o primeiro vlog de Maria Lúcia:

@marialuciap29 Mansinho é meu galo de estimação  #minivlog ♬ som original - Lúcia

Atualmente, os vlogs são a marca registrada de Maria Lúcia. Nos vídeos, ela mostra as tarefas domésticas, receitas, plantações, o galo João Gomes, a galinha Maisa, os outros animais do sítio, a casa que está construindo com ajuda financeira dos filhos e insere as publicidades no meio dessas atividades.

Maria Lúcia pode ganhar até R$ 10 mil por post

Agricultora aposentada, a principal fonte de renda de Maria Lúcia ainda é o valor que recebe da previdência social. Porém, com o sucesso recente na internet, ela espera que o trabalho com as redes sociais se torne uma importante fonte de renda para a família.

Thays Almendra, especialista em marketing de influência, calcula que um perfil do tamanho do de Maria Lúcia no TikTok possa ganhar de R$ 8 mil a R$ 10 mil por post com publicidade. Radira conta que a mãe já tem publis fechadas nesse valor, que vai divulgar em breve.

Para Maria Lúcia, o sucesso nas redes sociais veio porque ela mostra a realidade do que vive. "É bem simples ali no sítio, e tudo o que eu mostro é verdadeiro. Não estou inventando nada daquilo. A gente usa água do balde para tomar banho, não tem água encanada na casa da minha mãe. Na minha casinha, que estou fazendo, vai ter. Passo a verdade para as pessoas", garante.

Almendra afirma que o perfil da influenciadora é de "gente como a gente" e faz com que as pessoas se identifiquem com a agricultora ou vejam algum conhecido representado nela. E é por esse mesmo motivo que empresas a procuram para publicidade.

"As marcas precisam e procuram representatividade de pessoas comuns e que tenham os mesmos valores que elas. Como é uma simplicidade, uma humildade e uma autenticidade tão grandes, marcas que têm o mesmo propósito que ela a procuram. Não importa o número de seguidores, o que importa é o que ela gera de conversa", explica.

A especialista em marketing também diz não haver um limite de até onde o perfil de Maria Lúcia possa crescer, mas é importante sempre manter a autenticidade. "Se ela continuar desse jeito, nesse formato, da verdade dela e se expondo como uma pessoa comum, ela vai longe e o que vai barrar é se ela perder a autenticidade e o conteúdo legítimo que ela tem", fala.

A vida simples

A vida simples de Maria Lúcia em meio à natureza conquistou milhões de seguidores e pode ter explicações científicas para a razão de todo esse sucesso. Segundo o neurocirurgião e neurocientista Fernando Gomes, do Hospital das Clínicas, a vida rural provoca essa atração porque promove um contato maior com a natureza, o que pode representar uma desconexão com o mundo acelerado e digital, mesmo que o conteúdo esteja publicado na internet.

Além disso, a vida no campo também atrai a curiosidade de pessoas que vivem em centros urbanos, em uma realidade muito diferente da vivida pela influenciadora.

"O cérebro humano é extremamente curioso, e conseguir ter acesso à informação de maneira direta de uma forma de vida diferente da sua é tudo o que o cérebro quer. Além de acionar o circuito cerebral do prazer, isso potencializa a possibilidade de criatividade e do estabelecimento de novidades. Por isso que se torna inspirador ter contato com um estilo de vida diferente do seu", explica Gomes.

O neurocientista também diz que a busca por conteúdos sobre a vida rural e esse desejo de, de certa forma, voltar à vida no campo estão ligados à ancestralidade do ser humano e "refletem um pouco da memória inconsciente coletiva".

"As cidades foram criações. Inicialmente, todo mundo tinha contato com a natureza. Isso representa uma volta às origens, uma volta a uma vida mais próxima da subsistência e da resolução de problemas que, no dia a dia, o próprio processo de urbanização e a tecnologia dão de graça ao indivíduo, tornando o cérebro cada vez mais preguiçoso", completa.

Novos planos

Maria Lúcia e a filha já veem a produção de conteúdo para o TikTok como parte da rotina da família. Elas querem continuar filmando os vlogs e mostrar os bastidores da construção da casa da influenciadora, com os parentes pondo a mão na massa.

A perspectiva é que o dinheiro que elas ganhem com os publis só aumente. Com esses pagamentos, Maria Lúcia quer poder ajudar os filhos e a mãe, comprar um carro e viajar. Porém, ela descarta se mudar para a cidade ou viver de maneira luxuosa.

"Quero continuar simples do mesmo jeito. Mas, claro, com um pouco de conforto que não faz mal a ninguém. Quero a vida simples como sempre gostei, gosto da natureza", conclui.

Últimas