Patricia Lages No Dia Internacional Contra a Corrupção, o que temos a comemorar?

No Dia Internacional Contra a Corrupção, o que temos a comemorar?

Petrolão, Mensalão, Covidão, incalculáveis trocas de favores e somas inomináveis de desvios de verba pública é o que temos para hoje

Flipar

Etimologicamente a palavra corrupção, do latim corruptus, significa “quebrar em pedaços”, enquanto o verbo corromper, indica “tornar algo podre”. A origem de ambos os termos se refere a qualquer pessoa que despedace o correto e apodreça algo bom, seja ela uma pessoa pública ou não.

Porém, a lei brasileira entende que corrupção é a malversação, ou seja, a má administração de dinheiro público e, segundo o Código Penal, o mau uso da função pública visando obter uma vantagem.

De acordo com o Jusbrasil, o maior site jurídico do mundo, os crimes contra a administração são bastante amplos, mas para citar apenas dois, temos ilícitos cometidos por funcionários públicos e improbidade administrativa.

Dentre esses ilícitos cometidos por funcionários públicos estão o exercício arbitrário ou abuso de poder (a famosa “carteirada”), a má-gestão praticada por administradores públicos, a apropriação indébita, lavagem ou ocultação de bens oriundos de corrupção e o emprego irregular de verbas.

Já a improbidade administrativa tem dois significados: praticar ato visando fim proibido por lei ou regulamento, e retardar (atrasar) ou deixar de praticar ato de ofício. Diante disso, será que há um único brasileiro que nunca tenha presenciado má conduta, atraso ou a recusa de praticar o ofício por parte de um ente público?

Além disso, somos os detentores dos maiores casos de corrupção do mundo, como Mensalão, Jorgina de Freitas (uma das maiores fraudadoras da história no INSS), Petrolão, Covidão e tantos outros.

No Dia Internacional Contra a Corrupção o Brasil não tem nada a comemorar, afinal de contas, estamos no país do desmonte da maior operação anticorrupção do mundo, a Lava jato, que por um detalhe jurídico jogou na lata do lixo da história brasileira anos de investigação, o que não trouxe nenhum benefício à nação.

Não sabemos se um dia o Brasil estará livre da corrupção, mas por hora, já estaria de bom tamanho se a população entendesse a gravidade do que esse crime causa ao país e deixasse de insistir em entregar a nação nas mãos de bandidos.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas
    http://meuestilo.r7.com/patricia-lages