Aprendiz de Cozinheira Panetone: pão doce italiano do século 15 ganha recheio no Brasil e vira sorvete

Panetone: pão doce italiano do século 15 ganha recheio no Brasil e vira sorvete

Veja o que os fabricantes artesanais e grandes marcas estão preparando para este Natal

Panetone ganhou diversos recheios no Brasil

Panetone ganhou diversos recheios no Brasil

Freepik

Que o panetone nasceu na Itália, todo mundo sabe e ninguém contesta. Mas como todo produto antigo e clássico, o panetone tem várias versões para sua história. Desde pequena, eu ouço que era o pão do Toni, o famoso padeiro italiano que criou essa receita em Milão, na padaria Della Grazia. Por isso, muitos consideram o panetone de Milão o único e verdadeiro.

A primeira versão da história é do século 15 e conta que o jovem Toni se apaixonou pela filha de um padeiro e criou um pão especial para impressioná-la. Daí nasceu o panetone, ou o pão do Toni. 

Outras histórias mais detalhadas contam que o famoso Toni criou esse pão doce misturando farinha, ovos, açúcar, manteiga, frutas cristalizadas, baunilha, limão e passas e assou em um forno especial. Há quem conte também que Toni trabalhava para a família Sforza e teria preparado esse pão especial para o banquete de Natal do duque Ludovico Sforza.

O que se sabe com certeza é que o panetone é derivado dos pães doces, ou pães de festa, consumidos na Idade Média em ocasiões especiais, como o Natal. Esses pães levavam açúcar, passas, especiarias e outros ingredientes para ficarem mais saborosos e sofisticados.

Porém, o panetone como conhecemos hoje foi registrado pela primeira vez só em 1853, no livro "Nuovo cuoco milanese economico" (Novo cozinheiro milanês econômico). A receita levava farinha, fermento, manteiga, ovos, açúcar, uvas-passas e cidra.

No final do século 19, o panetone começou a ser produzido industrialmente por algumas empresas de Milão, como a Motta e a Alemagna, que popularizaram o produto em toda a Itália e no exterior.

No Brasil, o panetone chegou com os imigrantes italianos durante a Segunda Guerra Mundial. Por ser uma receita tradicionalmente natalina e muito apreciada pelos italianos, ela foi passada de geração em geração e se tornou um dos principais símbolos do Natal brasileiro.

Hoje, existem diversas variações do panetone, com chocolate, o já clássico chocotone, frutas, salgados e outros recheios, que agradam a todos os paladares (veja as novidades abaixo).

Mas como os panetones ficaram recheadões e bem diferentões? A ideia de rechear o panetone surgiu no Brasil (claro!) na década de 1990. A primeira receita de panetone recheado publicada no Brasil foi em 1994, no livro "Receitas de Natal", da Editora Abril. A receita era de um panetone recheado com chocolate.

O chocolate virou o recheio mais popular no Brasil, mas outros também caíram no gosto popular, como brigadeiro, doce de leite, frutas e até mesmo sorvete. Atualmente, o panetone recheado é uma das opções mais populares de sobremesa para o Natal no país.

Diferentemente dos demais posts, não vou dar receitas de panetone porque é muito difícil, exige muito tempo, muita paciência, muita técnica e muita prática. Mas vou mostrar para você o que os fabricantes artesanais e grandes marcas estão preparando para este Natal de 2023. Tem coisa bem diferentona, tanto das grandes marcas quanto nas artesanais.

Natal chega com panetones diferentões

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas