O que os olhos não veem o paladar sente?

Serviço de vinhos em taças pretas é um teste divertido, que pode ser reproduzido em casa, em um jantar com a família ou amigos

  • É de comer | Camé Moraes do @ehdecomer para o R7

Resumindo a Notícia
  • Conheça o serviço de vinhos em taças pretas.

  • Degustação às cegas.

  • Experiência sensorial: vinhos servidos em taças pretas.

  • É possível descobrir o tipo de vinho sem enxergar a cor?

O visual do vinho influencia na hora da degustação?

O visual do vinho influencia na hora da degustação?

Bing Image Creator

Que o visual do prato abre o apetite e é um importante elemento na hora de uma refeição todo mundo sabe. Os realities de competição gastronômica estão aí para não nos deixar esquecer. Não raro um “jurado” diz: "Fulano, você precisa melhorar sua apresentação; Ciclano, a cor desse creme ficou estranha".
Mas o mesmo vale para bebidas? Ou melhor, para vinhos? Afinal, qual a influência do “visual” na hora de degustar um tinto ou branco? Será que se fechamos os olhos temos uma avaliação diferente do que estamos ingerindo?

Serviço de taças pretas — teste cego

Serviço de taças pretas — teste cego

@ehdecomer


Recentemente, passei por uma experiência interessante em uma importadora/loja de vinhos franceses de São Paulo, a Delacroix Vinhos, que pode ser reproduzida em outros lugares ou até mesmo em casa. A “brincadeira” se chama Experiência Álcool-Íris e consiste no serviço de vinhos em taças pretas opacas –— um teste cego, mesmo. Quatro taças pretas são postas à mesa, com quatro conteúdos diferentes. Poderiam ser vinhos tintos, rosés, brancos, laranjas, fortificados e até mesmo espumantes. Quem degusta tem que provar e depois dizer: qual cor é o vinho? Podemos ir além, se quisermos chutar o tipo de uva, o terroir (região na qual o vinho é fabricado), se era envelhecido... Mas aí a gente deixa essa parte pros experts de verdade.
Eu, como boa apreciadora da bebida, me limitei a tentar adivinhar as cores, na certeza de que iria acertar todas, afinal tenho um conhecimento razoável adquirido (e até certo orgulho) sobre vinhos ao longo de viagens e do período em que morei na França. Não acertei todas. Errei uma das taças, na verdade: confundi rosé com branco. Ainda assim, na maioria dos goles não tive 100% de certeza da minha resposta.

Será possível adivinhar todas as cores?

Será possível adivinhar todas as cores?

@ehdecomer

Ficou a lição: sim, enxergar a taça de vinho faz diferença na experiência sensorial. Nosso paladar pode nos enganar, e a complexidade de alguns vinhos também — principalmente os chamados biodinâmicos, feitos em condições naturais, sem agrotóxicos.

A ideia da importadora de vinhos era trazer um pouco de leveza e diversão na hora de apresentar os rótulos disponíveis para compra e degustação. Mas me deu outras ideias... Pode ser uma ótima brincadeira para um jantar de fim de ano em família, por exemplo. Abrir algumas garrafas e tentar o teste cego. E ainda tentar harmonizar os rótulos com as aves, carnes e queijos de fim de ano. Fica a dica pra você que quer fugir do chatíssimo amigo secreto (eu, particularmente, odeio) mas quer promover um entretenimento etílico em casa ou entre colegas agora nessa reta final de 2023.

Quer mais ideias pra esse fim de ano? Me segue lá no @ehdecomer

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas