Maria do Caos Como vou contar para minha melhor amiga algo tão, tão, tão...

Como vou contar para minha melhor amiga algo tão, tão, tão...

Ônibus sacudindo, vendedor ambulante, motorista de aplicativo gringo... Nossa Maria da semana passou um sufoco até chegar na casa da melhor amiga e o pior, com algo importante para resolver

Dia em que o trajeto até a casa da minha melhor amiga foi a maior aventura da minha vida.

Dia em que o trajeto até a casa da minha melhor amiga foi a maior aventura da minha vida.

Divulgação

E aí, Mariasssss!!!

Como estão vocês? Desejando um príncipe encantado italiano, igual o da nossa Maria da semana passada?

Nossa! O destino nos prega cada peça, né? Quando ela podia imaginar que de um relacionamento virtual, com um oceano entre o casal, que deu tudo errado, poderia ser a maior certeza da vida dela? Lendo assim, parece estranho. Eu hein!

Meninas, o caos está me consumindo hoje. Sério, preciso compartilhar. Acordei e quando fui olhar minha agenda, tinha esquecido de atualizar os compromissos e adivinhem? Estava mega atrasada! Para ajudar, o trânsito parou e a chuva veio visitar a avenida onde estava. Foi o maior pé d’água! Enfim, me atrasei, mas cheguei e graças ao bom Deus, fui compreendida!

Tem dias que parece que tudo já começa estranho. Já aconteceu com vocês?

A história de hoje, fala justamente sobre isso. Aquela situação que os outros acham que é simples, mas para nós, que estamos vivendo, é tenso demais.

Nossa Maria, viveu uma hora de pura adrenalina dentro de um ônibus municipal. Quer saber o motivo? Leia até o final.

Tem coisas que só acontecem com a gente mesmo, né!?!

==========

Eram quase seis da tarde, eu estava no ônibus indo para o apartamento da minha melhor amiga. Me lembro exatamente do sentimento, era uma mistura de ansiedade, euforia e muitos calafrios. Sentia cada gota que escorria pelo meu corpo. Aquele calor de 40 graus? Embaixo do sutiã duas poças d'água, e eu? Firme na missão. Afinal, falar sobre algo tão íntimo demandava concentração e muita habilidade com as palavras. Seguia eu treinando...

" - Amiga, preciso... então, aconteceu um... preciso te contar..."

Logo eu, tão precavida contra acidentes, estava presa em um que eu nem sabia ainda o estrago que faria.

" - Ohhhhhhhhhhhhhhhlha o carregador".

Tomei um susto e tão compenetrada que eu estava, acabei caindo no colo de uma moça que estava no banco ao lado. Pedi desculpas umas dez vezes, mas me agarrei novamente nas barras do ônibus morrendo de vergonha. Na minha cabeça só vinha o meu estado atual, passei o dia no trabalho desesperada, precisando de alguém, de outra mulher, de uma amiga de verdade, sabe? Mas, eu só trabalho com homem e aí já viu né? Ninguém entende o que a gente passa.

Estava tão perto e, ao mesmo tempo, tão longe. Olhava o relógio do celular e um minuto parecia 24 horas. Eu precisava urgente fazer xixi e o ônibus cada vez mais sacudindo, era vala para cá, lombada para lá, e trec trec... Daqueles pulos de morder a língua.

Quando você tem algo dentro de você, todo cuidado é pouco, a gente nunca sabe, né? Vagou um assento, fui logo em direção, mas aí levei uma trombada que meu telefone foi parar no fundo do ônibus. Ninguém respeita uma mulher... Nesse estado... Fui me equilibrando, passa ponto, desce gente, sobe gente, motorista, corre, freia, até recuperar o telefone demorou...

E aí quando levantei, meu ponto já tinha passado. Por que não peguei um carro de aplicativo???? 20 reais??? 20 reais eu não passava por isso.

Desci no ponto seguinte e pedi o bendito do carro. Ele chegou rapidinho, ai você pensa.. Uhull tudo certo, ganhei uma batalha. Mas, o destino vem com dois pés no peito e grita bem alto... Perdeuuuuuuuuuuuuu... Na verdade, o motorista me deu um pedaço de papel com os dizeres: "Não fala portuguese. Desculpe".

Oiiiiiiii???????????????? Meu Deus, era só o que me faltava, ainda bem que existe GPS.

Tentei mandar um: "Do you speak english?" Ele riu!

Ai minha amiga já estava doida atrás de mim e eu sem saber onde estava, O motorista errando o caminho, o discurso todo que tinha treinado pra contar a minha amiga já tinha ido por água abaixo, eu estava mais perdida que cega em tiroteio, depois de umas vinte voltas cheguei finalmente.

Entrei no apartamento dela correndo para o banheiro, xixizinho e então, ela muito aflita com os olhos esbugalhados me pergunta:

"O que aconteceu? Você está?"

Sim, estou! Com um sorrizinho amarelo falei: tira daí pelo amor de Deus.

E foi assim que eu pari o meu absorvente que estava entalado.

==========

Mariasssss, quem nunca passou por algo parecido? Duvido que não!

Essas coisas, só nós, mulheres, entendemos mesmo.

Tem uma história muito doida para me contar? Me mande uma mensagem pelo @monicasimoestv

Prometo contar com muto carinho e com aquela pitadinha de caos que todo mundo gosta.

Até a próxima semana!

Um beijo, Marias

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas